A Obrigatoriedade do BIM na Construção

Atualizado: 9 de set. de 2021



O BUILT CoLAB (Laboratório Colaborativo para o Ambiente Construído do Futuro) promoveu o TechOnBUILT | WebTalk’Series, uma série de conversas online no âmbito da Transição Digital e Climática no setor AEC, que abordou no dia 28 de julho o tema “A Obrigatoriedade do BIM na Construção”.


O Diretor do BIM Fórum Brasil, Professor Doutor da Poli USP, Eduardo Toledo foi convidado para falar da obrigatoriedade do BIM no Brasil. Para expor sobre o tema no Reino Unido, foi convidado o professor da Universidade de Bath, Ricardo Codinhoto. A moderação ficou a cargo de António Aguiar Costa – RD&I Director BUILT CoLAB.


Ricardo Codinhoto falou sobre a trajetória pioneira do Reino Unido na digitalização da construção, iniciada em 1998 com o primeiro relatório sobre o setor e suas fragilidades, chegando à 2011 com a obrigatoriedade do uso do BIM em algumas obras públicas, evoluindo até 2016, quando a exigência passou a contemplar todas as obras públicas. As obras privadas também passaram a adotar o BIM voluntariamente e hoje já são em maior número, comparadas às obras públicas. Para o professor o seu maior aprendizado durante a trajetória foi o de que o poder está nas mãos do cliente e por isso foi importante o governo se colocar no lugar de cliente e exigir a utilização do BIM para o avanço da sua implementação no país.


Eduardo Toledo, em seguida, apresentou a trajetória do BIM no Brasil, marcada por dois Decretos do Governo, um de 2018, revogado pelo Decreto de 2019 (Decreto nº 9.983, de 22 de agosto de 2019), que definiu a Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling - Estratégia BIM BR e o segundo de 2020 (Decreto nº 10.306, de 2 de abril de 2020), que estabeleceu três marcos para a exigência da utilização do BIM em obras públicas dos Ministérios da Defesa e da Infraestrutura. Foi lembrado que o Plano Estratégico do Brasil, criado no final de 2017, contou com a participação do Reino Unido em sua elaboração. Em retrospectiva, Eduardo enxerga que a obrigatoriedade moveu o mercado, indicou o caminho, apesar do nível de exigência estipulado ainda ser baixo.


A mesa redonda precedeu a cerimônia de premiação dos vencedores do "Prémio de Excelência BIM 2021", promovido pela CT 197 (equivalente à ABNT/CEE134 no Brasil) e outras entidades portuguesas. Os citados professores integraram o júri do prêmio como participantes internacionais. Foram divulgados vencedores e menções honrosas em 3 categorias: Simulação e Projeto, Planejamento e Construção e, Gestão do Ambiente Construído.


Confira na íntegra:

https://www.youtube.com/watch?v=nZ6B9oqQNsU