top of page

ConstruBusiness: Rodrigo Koerich participa de debate sobre investimentos em habitação no Brasil


Crédito: Divulgação


O presidente do BIM Fórum Brasil, Rodrigo Koerich, participou, na tarde de ontem (30), de um dos painéis do ConstruBusiness, evento que reuniu líderes e especialistas do setor para debater os investimentos em habitação no Brasil. Em sua participação, enfocou a importância do BIM e da desburocratização como ferramentas fundamentais para impulsionar o setor da construção.

O painel também teve a participação do secretário nacional de habitação do Ministério das Cidades, Hailton Madureira, do presidente do Sinduscon-SP, Yorki Stefan, do superintendente nacional da Caixa, Alexandre Cordeiro, da diretora de operações da Tenda Construtora, Daniela Ferrari, além do presidente da Abrainc, Luiz Antonio França, que fez a mediação do debate.

Koerich trouxe à tona a relevância do Construa Brasil, projeto do qual é coordenador técnico, destacando suas bases, metas e entregáveis, com ênfase na desburocratização do ambiente regulatório. Ele também discutiu a importância de atualizar os códigos de obras dos municípios de forma ágil e organizada, utilizando o projeto como referência. Essas abordagens estavam alinhadas às preocupações levantadas por outros participantes, como a necessidade de flexibilização e agilidade para as empresas atuarem no mercado habitacional.

Em relação ao BIM, Koerich discutiu como essa metodologia pode ser aplicada para modernizar o setor de construção e facilitar a gestão de projetos. Ele mencionou o trabalho realizado pelo BIM Fórum Brasil na análise de códigos de obras em seis cidades brasileiras, identificando boas práticas e áreas que precisavam de melhorias. Essa iniciativa teve convergência com o Construa Brasil, resultando na criação de guias e cursos de Educação à Distância (EAD) para auxiliar os municípios na atualização de seus códigos de obras, de forma mais eficiente.

Em sua apresentação, Daniela, da Tenda, reforçou as palavras do presidente do BFB, destacando a necessidade de desburocratização no ambiente regulatório para permitir uma atuação mais ágil e flexível das empresas no mercado de habitação. Sobre o uso do BIM, explicou que a construtora começou a adotá-lo pela área de infraestrutura, fazendo análise 3D para compra de terrenos, contenção e movimentação de terra e muito mais.

“Não tínhamos a dimensão da importância desta metodologia. Este é um caminho que está avançando e esperamos que mais municípios tenham o licenciamento digital e que os órgãos públicos consigam alcançar essas tecnologias nos processos, para que possamos fluir com os projetos”, disse ela.

Por sua vez, Hailton Madureira, secretário nacional de habitação do Ministério das Cidades, apresentou um panorama da habitação no Brasil e destacou a importância de novas formas de financiamento, destacando iniciativas do Governo, como o Minha Casa, Minha Vida Cidades, que coloca a habitação como prioridade e convida prefeitos a investir recursos no programa.

Para falar sobre financiamento imobiliário, Alexandre Cordeiro discutiu a importância da redução das taxas de juros para aquecer o mercado habitacional e atrair novos parceiros. A implementação do BIM também foi um ponto abordado pelo superintendente, que apontou que a Caixa está treinando sua equipe técnica e realizando programas pilotos para avançar no uso da metodologia, especialmente em projetos de obras de médio e alto padrão.

Também citando o juros como um entrave para o setor, Stefan enfatizou a necessidade da criação de alternativas aos juros altos, além de citar a promoção da industrialização do setor com um caminho para tornar o mercado mais atraente.

O evento encerrou com uma discussão sobre os fatores necessários para melhorar o programa habitacional no Brasil. Os participantes destacaram a importância do BIM para desburocratizar processos, a necessidade de mudanças regulatórias, o aumento na oferta de imóveis e o reforço do programa Minha Casa Minha Vida. Todos concordaram que a simplificação de processos é fundamental para reduzir custos e impulsionar o setor habitacional no Brasil.











Comments


bottom of page