top of page

Parceria Brasil-Portugal impulsiona inovação no setor de mobilidade em Lisboa com o uso do BIM


Crédito: Divulgação CADTEC


Uma parceria entre Brasil e Portugal está prestes a revolucionar o setor de estacionamentos em Lisboa e mostrar a força do BIM quando o assunto é modelagem e compatibilização. Um dos pilares dessa iniciativa é o uso das plataformas Solibri, responsável pela checagem automatizada e compatibilização de modelos BIM, e o CDE Catenda HUB, utilizado para gerenciamento de projeto e visualização do modelo federado, seguindo normas específicas de construção.


Orquestrada pela Conexão BIM, através do projeto Liga BIM Prefeituras, a iniciativa envolve a Empresa Municipal de Mobilidade da Cidade de Lisboa (EMEL), que começou a incorporar o Building Information Modeling em suas operações, atendendo ao objetivo de melhorar a mobilidade na cidade e organizar o estacionamento. A Conexão BIM é uma empresa que tem como propósito conectar pessoas às demandas relacionadas ao BIM e para atingir esse objetivo, conta com uma plataforma de capacitação, eventos e diversas projetos que apoiam na disseminação e aplicação do BIM.


Tudo começou quando Célia Penedo, responsável pela gestão de obras públicas e manutenção da EMEL, esteve no Brasil a convite de Késia, da Conexão BIM, para uma palestra sobre a implementação de BIM em obras públicas de Portugal. Em troca, Késia visitou Portugal para compartilhar conhecimentos com técnicos de Lisboa e a equipe da EMEL, o que marcou o início da parceria.


“Foi uma via de mão dupla, a Késia queria um projeto internacional para treinar sua equipe em modelagem e coordenação, ao mesmo tempo em que nós queríamos iniciar os projetos em BIM na empresa. Desta forma, nasceu o projeto piloto de parque de estacionamento em Lisboa”, destaca Célia.


A partir daí, mais de 20 profissionais, entre engenheiros, arquitetos e outros, foram envolvidos, trabalhando juntos para tornar esse projeto uma realidade, o que incluiu modelagem, simulação 4D, compatibilização, coordenação, plano de trabalho e muito mais. Em meio as correções e checagens, todos aprenderam a utilizar o Solibri Office e o Catenda HUB e mostraram a relevância do trabalho colaborativo, ao mesmo tempo em que levarão para a EMEL a possibilidade de enxergar os projetos com outra perspectiva e a implementar o BIM de forma gradativa.


A BIM Manager Juliana Bicudo, que desempenhou um papel-chave no projeto, destacou a importância dessas ferramentas na comunicação eficaz e resolução rápida de desafios. Segundo ela, o BIM é uma combinação de pessoas, processos e tecnologia, e que a disposição das pessoas em entender os processos e a usar a tecnologia foi fundamental. Entre os destaque, o Solibri foi fundamental na checagem dos parâmetros do IFC, o que permitiu a criação do planejamento 4D, uma inovação que melhorou significativamente o projeto.


Outro aspecto do projeto foi a colaboração entre pessoas e softwares, com o uso de arquivos BCF (BIM Collabration Format) gerados no Solibri e posteriormente integrados ao Catenda. Essa contribuição na visualização e comparação de informações entre os softwares foi fundamental para a equipe. A federação de projetos no Catenda HUB , utilizando todos os IFCs conforme as normas, permitiu que os membros da equipe acompanhassem o progresso do projeto de forma visual.


Juliana também ressaltou que todo o aprendizado teve um suporte importante da CADTEC, empresa distribuidora dos softwares, que prestou toda consultoria à equipe.

Este projeto é um exemplo de como a colaboração entre Brasil e Portugal pode ser uma fonte de inovação e avanço nos projetos de infraestrutura. A EMEL espera que essa parceria traga uma visão de futuro para a digitalização de seus projetos e que seja um grande passo para a implementação do BIM em suas operações, com a intenção de trazer mais eficiência e qualidade para a mobilidade urbana em Lisboa.


“Foi a partir do projeto piloto de parque de estacionamento em Lisboa que a EMEL aderiu à recomendação de tornar a contratação em BIM obrigatória em Portugal, devido às inúmeras vantagens oferecidas pela metodologia. Quanto ao resultado do trabalho entregue pela equipe da Liga BIM, o objetivo é entregá-lo no primeiro semestre de 2024”, conclui Célia.

bottom of page